Pensamento do Dia...

"É legítimo querer que nos amem por quem somos … mas é nossa a responsabilidade de sermos quem somos…fielmente."

terça-feira, 12 de maio de 2009

Apego a...

Achei este conhecimento curioso, e fez-me pensar em mim e naqueles que me rodeia. Tantas vezes não percebemos porque o "outro" não faz as coisas de determinada maneira, que nem nos apercebemos de tudo o que está por detrás de tal comportamento. Outras vezes somos nós que não conseguimos agir de determinada maneira, umas vezes porque achamos que não vale a pena, outras porque achamos que não somos capazes e outros simplesmente porque temos medo. Quero apenas com esta história salientar a quantidade de "apegos" a que estamos sujeitos quando agimos de determinado modo...e abrir mão desses apegos quando achavamos que isso determinava a nossa identidade, é talvez a coisa mais dificil de se fazer, pois teremos de sentir o medo e mesmo assim seguir rumo ao desconhecido.
"Já observou um elefante no circo? Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais. Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma das suas patas a uma pequena estaca cravada no solo. A estaca é só um pequeno pedaço de madeira. E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com a sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir. Que mistério! Porque é que o elefante não foge?
.
Alguém bastante sábio encontrou a resposta: o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno.
Imaginem o pequeno recém-nascido preso: nesse momento, o elefantinho puxa, força, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não pode sair. A estaca é muito pesada para ele. E o elefantinho tenta, tenta e nada. Até que um dia, cansado, aceita o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo. Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode. Para que ele consiga quebrar e se ver livre é necessário que ocorra algo fora do comum, como um incêndio por exemplo. O medo do fogo faria com que o elefante em desespero quebrasse a corrente e fugisse."
.
Retirado da Internet

4 comentários:

@_-¯Cristiano Quaresma¯-_@ disse...

Sim...
Acrescente aos apegos,
OS estigmas e paradigmas,
estereótipos já alicerçados
na sociedade, cujas raízes
não vemos mais como opção!
E assim se vai...
A vida não pára!
NAMASTE!

@_-¯Cristiano Quaresma¯-_@ disse...

Tornei-me seu seguidor,
de Post e de Comments,
pois sigo por onde
me apresentam artigos
com bela textualidade,
além, logicamente, de
áurea explanação ao
cenário tabulado!
Parabéns...
NAMASTE!

Joana disse...

Não é nada fácil o trabalho de desapegarmo-nos de todo o que nos rodeia. Acho que é das tarefas mais complicadas que existem.

Branca de Neve disse...

Quantas vezes nas nossas vidas precisamos que tudo arda para nos conseguirmos libertar da corrente à qual nos prenderam...