Pensamento do Dia...

"É legítimo querer que nos amem por quem somos … mas é nossa a responsabilidade de sermos quem somos…fielmente."

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sentir, e mais sentir...


As palavras têm andado aqui, dentro, para serem escritas...ditas...
Acho que o processo de as escrever não acontece logo que quero, porque preciso de as sentir, uma por uma, e todo o significado que o conjunto têm, mas parece que forma um novelo demasiado emaranhado, que tenho dificuldade em encontrar a ponta.
As primeiras palavras que surgiram  aquando destes momentos foram...

Quando não temos aquilo que queremos, o que nos resta fazer?!

Quando não temos os momentos que gostaríamos, e neles faltam as pessoas com os mesmos desejos, os mesmos modos de ver, e principalmente de sentir a vida, o que nos resta fazer?!

Quando as nossas escolhas nos levam a determinado ponto, em que não gostamos do que perdemos, mas também não conseguimos ser felizes com o que temos, principalmente com as escolhas que nos levaram até lá, o que resta?!

E quando no meio de tudo isto, temos duvidas se a dita sensibilidade que se tem, é tolerável face á intensidade do sentir, que ela acarreta, o que resta?!

São tantas dúvidas, inúteis, retóricas, pois sabemos perfeitamente as respostas, sabemos muito bem o que resta!
Resta aceitar, que o agora é aquele momento, e que isso nos quer fazer ver, sentir alguma coisa... aceitar sobretudo, que aquele é um momento de confronto com as consequências das escolhas anteriores, muitas vezes já frente a frente com as novas!
É tão estranho sentir na prática, o que aquela frase quer dizer...o, já não sou o que era, mas também ainda não sou outra coisa...
É estranho sobretudo, porque realmente já se É algo novo, mais perto da essência é o que se espera, mas parece que a mente não acompanhou a mudança, então parece que continuamos á espera dos padrões antigos, dos outros...e dos nossos...como se não soubéssemos SER esta nova pessoa, como se de repente entrássemos no filme errado.
Mas não, mudámos, fizemos novas escolhas e claro o mundo á nossa volta, mudou connosco...e quando percebemos isso lá vem uma sensação terrível de perda, difícil, mas necessária...é puro desapego!!

O que nos resta fazer?!
Deixar doer...ficar triste numa profundidade incalculável, pois a sensibilidade encoberta até aqui não fazia prever o tamanho!
E depois disto fazer as escolhas coerentes com a nossa verdade, a nossa essência, por mais que doa, porque a certeza de que esse é o caminho é gigante, e a felicidade só é possível com essa verdade, essa liberdade, esse amor por nós próprios!

E cada vez o peso fica maior, de que a vida é só e apenas nossa...sentir essa individualidade é simultaneamente uma liberdade soberba e uma solidão, uma dor grandiosa.

E o percorrer deste caminho torna-se uma coisa inevitável, pois na consciência estão presentes todas as memórias de não o fazer...e depois de conhecermos algo que nos leva mais próximos da felicidade, somos incapazes de ignorar e deixar essa sensação para trás, porque a partir daí mudámos, e tudo vale muito mais a pena.

E ontem de repente, no meio de todo este processo surgiu...

Se voar te faz feliz..VOA!
Se ficar te faz feliz...FICA!
Mas voa com a liberdade, de quem não tem nada a prender-lhe as asas...
Mas fica, inteiro, como se absorvesses cada momento...
E ai vais ver, como aquilo que fazes não importa, mas sim aquilo que sentes!

4 comentários:

Maria Izabel Viégas disse...

Essencialma minha amiga querida,

e são tantos momentos em que eu precisava ter estado aqui e conversado contigo...
porque ouvir-te , ouvir a essência da tua alma ecoa na minha!
E me faz bem, muito bem!
Muitas saudades, querida! muitas... ah...muitas!!!

Inexplicável vida...
somos hoje o que fizemos de nós, ou porque deixamos acomodados...
ou porque fizemos a escolha de seguir nosso coração...
Nem sempre 'estamos' em paz com nossas escolhas
Sabemos, outrossim, que foi o caminho que construímos
Temos exata noção de que fomos impelidos a ser
Quem terá sido o condutor?
Minha mente ou minha alma?
Amiga, eu não sei... só sinto que algo eu deveria fazer
... e fiz
e, claro, tem horas que sou triste,
'mais'' horas sou muito feliz...
pois não fiquei à margem de nada, da vida,!!!
Se consegi o Tudo , isso não ...
o tudo é muito, é invisível aos meus olhos físicos.
Mas sinto que sou gente
e, mesmo com meus tropeços, eu cresci na direção de mim mesma...
e isso foi e é muito bom.
Mas entre o tudo, mais, muito mais que o nada!
E, pronto...
já sou difertente cada vez mais do ontem
muito próxima de ser o amanhã
que confio, será bom!
por que não?

Beijos neste coraçãozinho que gosto muito!

AquilesMarchel disse...

sob total in spiraçao
texto de reflexão pitada d emelancolia e conviccção

Essencialma disse...

Izabel...
Que bom é estar de volta, e que bom ter-la comigo de volta...

Que saudades, muitas também...
Desta troca, desta partilha!
Adorei o comentário, fez-me sentir cada palavrinha...e que contente fico com o significado e a emoção que vem delas!!

Obrigada, obrigada...por continuar ai, obrigada por mantermos esta ligação linda. ;)

Beijo enorme e abraço profundo e com muito amor

Essencialma disse...

Aquiles...
Muito obrigada pelas palavras...acho que sim, que cada vez mais é uma inspiração que me leva, como e quando escrever!!

Beijinho de luz